segunda-feira, 30 de março de 2015

RECEITA PARA TIRAR MARCAS DE ESPINHA


Depois que as espinhas somem, é muito comum que fiquem marcas na pele, principalmente se a inflamação for mais grave. As marcas e cicatrizes podem desaparecer com o tempo ou se manter por vários anos. Para tratar esse problema, a receita indicada abaixo é bastante eficaz. O bicarbonato remove as células mortas e limpa a pele, enquanto o azeite ajuda na cicatrização e hidrata as células da derme. A dica é usá-la depois que o processo de inflamação já tenha melhorado, para não agravar as erupções. Siga as instruções para uma pele sem marcas!


Evite “espremer” as espinhas para prevenir as marcas
Você vai precisar de:
1 colher (sobremesa) de bicarbonato de sódio
2 colheres (sobremesa) de água mineral
2 colheres (sobremesa) de azeite de oliva extravirgem
Modo de Preparo

Para um bom resultado da receite, é muito importante que a água usada seja mineral e que o azeite seja extravirgem e com baixa acidez. Antes de aplicar os ingredientes, é necessário misturar a água mineral e o bicarbonato de sódio até que ele comece a borbulhar. O azeite não será usado nessa mistura, mas sim separadamente.
Como usar

Use uma bola de algodão para aplicar, primeiramente, a mistura de bicarbonato e água. Esfregue o algodão por todo o rosto, principalmente nas áreas que possuem mais marcas deixadas pelas espinhas. O pó do bicarbonato irá promover uma esfoliação leve, além de limpar a pele profundamente. Em seguida, enxágue o rosto com água e seque bem. Com outra bola de algodão, aplique pequenas porções de azeite diretamente sobre as marcas da pele. Deixe o óleo agir por pelo menos 20 minutos. Depois lave com água e sabão para remover a oleosidade.
Precauções

Evite usar essa receita quando as espinhas estiverem inflamadas, ou seja, quando estiverem vermelhas e com pontos de pus. Nesses casos, é preciso esperar que elas sequem para que a solução possa ter um resultado eficaz.

FONTE: RECEITA NATURAL

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

AÇÃO NEURO PROTETORA DO ÓLEO DE COPAÍBA NO AVC:


(ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL) É DUAS VEZES MAIS POTENTE QUE A MINOCICLINA


É a primeira vez no mundo que se verifica efeitos do óleo de copaíba como neuroprotetor e sobre o sistema vascular!

O óleo de copaíba ganha mais uma função no tratamento de doenças. Agora, uma pesquisa inédita revela que a copaíba, nativa da região amazônica, pode ajudar também no tratamento de acidente vascular cerebral (AVC), conhecido popularmente como derrame. A copaíba tem seu óleo consagrado na medicina popular no tratamento de gripes, tosses, bronquites, inflamação da garganta e artrite. Diversos componentes também apresentam atividade farmacológica cientificamente comprovada, como o beta-cariofileno, que atua como anti-inflamatório e protetor da mucosa gástrica, solucionando problemas de azia, úlcera e gastrite. Desta vez, uma pesquisa financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapespa), do Governo do Estado, aponta que a planta pode ajudar a tratar o AVC.

E não apenas isso, a resina da copaíba é duas vezes mais potente que a minociclina, um dos anti-inflamatórios mais usados no tratamento da doença. O processo com a copaíba, executado em nível de mestrado em neurociência e biologia celular, pelo biólogo da Universidade Federal do Pará (UFPA) Adriano Guimarães, por enquanto é testado apenas em ratos e ainda carece de testes toxicológicos para averiguar se as substâncias não afetam também a formação de novos neurônios. Porém, um dos principais resultados já pôde ser comprovado: a potência do óleo de resina da copaíba também em tratamentos cerebrais. Para esta conclusão, o cientista injetou no cérebro do rato pequenas doses de um produto químico que causa vasoconstrição, um processo de contração dos vasos sanguíneos, que na prática simula um coágulo que ocorre no processo normal de isquemia, comum em quem sofre um AVC. Para evitar a proliferação dos neutrófilos e macrófilos - células de defesa do corpo que eliminam as células doentes antes que estas se recuperem - foram injetadas altas doses de óleo de resina da copaíba no abdômen do rato.


O trabalho no Laboratório de Neuroproteção e Regeneração da UFPA levou dois anos e um investimento de mais de R$ 30 mil pelo Governo do Estado. Os resultados foram surpreendentes: nas primeiras 24 horas de monitoramento do rato, houve uma inibição de 33% dos neutrófilos, que agem mais rapidamente. Em 72 horas, houve a redução de 64% da lesão dos macrófilos. "Isto é mais do que o dobro da inibição observada na droga experimental mais utilizada atualmente, que é a minociclina. Como a copaíba tem propriedades anti-inflamatórias, já esperávamos uma redução das lesões, mas não neste nível. É muito mais potente", afirma o autor da tese "Efeitos neuroprotetores e neurogênicos de extratos de plantas da Amazônia brasileira em um modelo experimental de acidente vascular encefálico", financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Pará (Fapespa).

Outra vantagem da copaíba em relação a anti-inflamatórios existentes no mercado é que, ao invés de ter a eficácia prevalecendo apenas em homens, a copaíba é uma planta que apresenta resultados positivos também em mulheres.


LACUNAS

Adriano Guimarães explicou que a manipulação da resposta imune do sistema nervoso central é muito mais complexa do que em outras partes do corpo. Por isso, apesar deste tema ser muito estudado pela ciência, ainda existem muitas lacunas a serem respondidas. "Seria uma alternativa a mais para o tratamento. Com a copaíba, conseguimos inibir a chegada de parte das células ao sistema nervoso central por mecanismos que ainda não conseguimos desvendar. Mas já temos um projeto pronto para mapear as possíveis vias farmacológicas pelas quais o óleo da copaíba atua no organismo. Foi o primeiro passo, talvez um dos mais importantes, porque é a primeira vez no mundo que se está investigando os efeitos da copaíba no sistema nervoso", afirma.

O pesquisador acredita que em mais alguns anos a ciência possa chegar a este resultado. Nesta nova fase, explica o cientista, também se fará a separação dos componentes da planta (para descobrir os principais responsáveis por este resultado); se avaliarão os efeitos colaterais; e a diminuição da dosagem da copaíba. Inicialmente, foram aplicadas 400 mg/kg. Agora, a ideia é diminuir esta dosagem para descobrir qual o percentual ideal de aplicação, sem que haja perdas da eficácia.

O pesquisador alerta que nem toda árvore produz o óleo eficaz no tratamento de inflamações. Por existirem várias espécies de copaíba, os elementos químicos da resina extraída podem variar conforme a região e o solo no qual a árvore é plantada. "Muitos dos óleos de copaíba que encontramos no mercado também já passaram por outras mistura, por isso, não adianta comprar e achar que vai melhorar. É preciso entender como ela atua no cérebro e chegar à fórmula precisa", afirmou.

Em longo prazo, o que se espera do trabalho é que os pacientes de AVC possam ter uma alternativa de tratamento, feita a partir de produtos da Amazônia, em um período mais curto e com menos danos colaterais. "A copaíba é uma gota no oceano quando se fala da riqueza da biodiversidade amazônica e do quanto ainda temos a descobrir.”

Extração de copaíba na Amazônia 


Casos de Acidente Vascular Cerebral matam 30% da população brasileira


De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima-se que mais de 5 milhões de pessoas morram a cada ano por causa de acidentes cardiovasculares. E o acidente vascular cerebral (AVC) é responsável por 30% dos óbitos registrados no Brasil. O estudo mostra que ainda que os pacientes que sobreviveram a um AVC têm grandes chances de conviver com sequelas. Cerca de 30% necessitam de auxílio para caminhar e 20% ficam com problemas de cognição, aprendizado, atenção, julgamento e memória.

A doença é causada pelo entupimento de uma artéria cerebral por um coágulo, que impede que o sangue chegue adequadamente a regiões importantes do cérebro, causando lesão celular e danos nas funções neurológicas.

Dentre os sintomas, pode-se constatar a diminuição ou perda súbita da força na face, braço ou perna de um mesmo lado do corpo; alteração súbita da sensibilidade com sensação de formigamento na face, braço ou perna de um lado do corpo; perda súbita de visão em um olho, eventualmente nos dois olhos; alteração aguda da fala, incluindo dificuldade para articular e expressar ou para compreender a linguagem; dor de cabeça súbita e intensa sem causa aparente; e a instabilidade, vertigem súbita intensa e desequilíbrio associado a náuseas ou vômitos.

Sinais que já deixaram, por duas vezes, a família do bancário aposentado Ewerton Castro, 72 anos, sobressaltada. O primeiro derrame, como também é conhecida a doença, ocorreu durante o expediente de trabalho. "Fiquei muito assustado, comecei a sentir uma fraqueza nos braços e de repente não vi mais nada. Pensei que fosse morrer", afirmou Castro, que conseguiu sobreviver ao problema sem apresentar maiores danos.

Porém o mesmo feito não se repetiu na reincidência, ocorrida no final do ano passado. Apesar de manter intacta a lucidez e a fala, hoje Ewerton já não consegue andar. "Sei que talvez não esteja vivo até que a ciência descubra um jeito de reverter isso, mas fico feliz de saber que talvez outras pessoas possam ter esta chance", disse o aposentado.


Óleo já é muito valorizado no mundo todo pelas propriedades medicinais


As copaibeiras são árvores nativas da região tropical da América Latina e da África Ocidental. No Brasil é encontrada principalmente na região Amazônica e no Centro-Oeste. O óleo de copaíba é basicamente uma resina coletada do tronco da copaibeira. Através de incisões, se extrai a resina, e a partir dela se produz o óleo, um líquido transparente, viscoso e fluido, de sabor amargo, com cor entre amarelo até marrom claro dourado. O uso mais comum é o medicinal, empregado como anti-inflamatório e até mesmo anticancerígeno.

Pelas propriedades químicas e medicinais, o óleo de copaíba é bastante procurado nos mercados regional, nacional e internacional, já despertando o interesse, inclusive, da indústria cosmética.Porém, a história remete que antes mesmo de o Brasil ser colonizado, este potencial era utilizado pelos animais e índios. Os índios começaram a usar o poder cicatrizante da copaíba ao perceber que os animais esfregavam seus corpos no tronco da árvore quando estavam feridos.

Depois disso, os índios da Amazônia utilizavam o óleo para untar o corpo depois dos combates para curar as feridas. Os colonos descobriram outras aplicações, utilizando-o como antisséptico das vias urinárias e respiratórias, particularmente bronquites. E, anos mais tarde, a planta também passou a ser alvo de estudos da ciência.


TEXTO:


PESQUISA ORIGINAL (MONOGRAFIA):


OUTROS SITES COM INFORMAÇÕES:




COPAÍBA FOI 2 X MAIS POTENTE QUE A MONOCICLINA COMO NEUROPROTETORA: Dose diária de Minociclina reduz risco de AVC e lesões em diabéticos. Usada em tratamento para derrame, a droga pode reduzir a remodelação dos vasos sanguíneos no cérebro

BENEFÍCIOS DO COLÁGENO E QUAL MELHOR FORMA DE CONSUMI-LO:


Colágeno ajuda a pele a ficar mais resistente e elástica
Ele também mantém as unhas, ossos, dentes e cabelos saudáveis




Dra. Tamara Mazaracki NUTRÓLOGO - CRM 52301716/RJ



Aproximadamente um terço da proteína de nosso corpo é colágeno. Ele tem uma função estrutural, protege outros tecidos menos resistentes e permite a sua conexão com o esqueleto ósseo. Colágeno é uma proteína composta por 3.000 aminoácidos dispostos em três correntes moleculares entrelaçadas, formando uma espécie de hélice tripla flexível e robusta. O colágeno tem inúmeros atributos: deixa a pele resistente e elástica, reforça tendões e ligamentos que unem os músculos aos ossos, sustenta os órgãos internos. Ossos e dentes são feitos pela adição de minerais à matriz de colágeno, e 75% da pele é colágeno.
Tipos de colágeno

Mais de 20 tipos de colágeno são encontrados no corpo, de acordo com um artigo publicado na revista científica Advanced Drug Delivery Reviews. A estrutura e a função do colágeno são determinadas pela sequência dos aminoácidos. Em alguns tecidos, como órgãos, o colágeno pode ter a forma de um gel. Em outros, como os tendões, o colágeno vem como fibras apertadas para fornecer a resistência.
Fonte de colágeno

Colágeno é um produto de origem animal, e é basicamente extraído da pele, cartilagens e tendões de aves, suínos e bovinos. Há um processo de agregação de água ao colágeno animal, chamado de hidrólise, obtendo-se assim o colágeno hidrolisado, um pó branco.

Colágeno comestível

O colágeno hidrolisado é composto por 90% de proteína, 2% de sais minerais, e 8% de água. O colágeno é classificado como uma proteína comestível e seus principais aminoácidos são prolina e lisina, responsáveis pela síntese de colágeno endógeno com a ajuda de alguns cofatores, citados abaixo. Ele é isento de gordura, colesterol e carboidratos. É uma proteína de fácil digestão e assimilação devido ao processo de hidrólise, e tem inúmeras indicações tanto na área de saúde como nos cuidados com a beleza da pele, cabelos e unhas.
O corpo produz colágeno

Existem nutrientes que ajudam o corpo a sintetizar e a preservar o colágeno por diversos caminhos metabólicos, agindo como cofatores. Para isso é preciso consumir alimentos ricos em lisina, ômega-3, vitamina A, enxofre, licopeno e vitamina C. A lisina está presente em laticínios, carnes, aves, peixes e frutos do mar, ovos, lentilha, tofu, quinoa e semente de abóbora. Pescados fornecem o ômega-3, que reduz a degradação de colágeno, e neste grupo também entram chia, linhaça, nozes, castanhas e abacate. Fontes de enxofre incluem alho, cebola, azeitonas, couve-de-bruxelas, ovos, pepino e aipo. A vitamina A trabalha em conjunto com o enxofre para produzir novas fibras de colágeno e elastina, e está presente em frutas e vegetais de cor verde, vermelha, laranja e amarela, como cenoura, batata doce, melão, manga, etc. O licopeno inibe a colagenase, uma enzima que destrói o colágeno, e se concentra no tomate, melancia, goiaba, acerola, pimentão vermelho e beterraba. Para finalizar, não pode faltar vitamina C, que se junta à lisina e prolina para formar os blocos de colágeno no corpo, abundante em frutas cítricas, vegetais folhosos de cor verde escura, pimenta vermelha, pimentão, goiaba, acerola, açaí, kiwi.
Vegetarianos, lisina e colágeno

Como o colágeno está presente em produtos de origem animal, os vegetarianos precisam ser bem cuidadosos na hora de montar o prato para não ter deficiência desta proteína essencial à saúde. Os precursores de colágeno citados acima não podem faltar, e a maior dificuldade reside na obtenção de lisina, pois a prolina é sintetizada pelo corpo a partir de outros aminoácidos. Os ovolactovegetarianos não têm problema para obter lisina, pois ovos e laticínios são excelentes fontes do aminoácido. Para os veganos as opções são o seitan (bife de glúten de trigo), proteína de soja (leite, tofu e carne de soja), ervilha, lentilha, feijões, levedo de cerveja, oleaginosas, manteiga de amendoim. Neste caso é importante consultar um especialista para saber a quantidade indicada de cada alimento para obter níveis adequados de lisina.
Suplemento alimentar

Por ser uma proteína de fácil digestão e assimilação, o colágeno é um suplemento alimentar com inúmeras indicações na área de saúde. Com o passar dos anos ocorre uma redução gradual de colágeno nos tecidos corporais, e ele também sofre em qualidade, tornando-se menos elástico e hidratado. O colágeno suplementar é usado para prevenir a degradação do colágeno corporal, ajudando assim a manter pele, tendões, ossos e ligamentos mais saudáveis.
Benefícios do colágeno

Ele atua no fortalecimento de unhas frágeis e promove maior resistência, espessura, crescimento e brilho aos cabelos. A pele adquire mais tônus, hidratação, e pode haver uma redução da flacidez cutânea. O colágeno hidrolisado desempenha um papel importante na prevenção e no tratamento de dores articulares, artrose e osteoporose, e tem sido utilizado para minimizar a ocorrência de lesões na terceira idade, pois mantém o tecido articular mais hidratado e elástico. Ele também é utilizado para prevenir lesões em atletas. Diversos estudos realizados na Europa e Estados Unidos atestam estes benefícios.
Como consumir

A dose recomendada é de dez a vinte gramas diárias (1 a 2 colheres de sopa) de colágeno hidrolisado diluído em meio copo de suco, leite ou iogurte. Prefira o colágeno em pó puro, sem a adição de corante e adoçante. Uma forma muito prática é a apresentação em balas tipo goma, contendo colágeno associado ao óleo de coco, assim se obtém um benefício duplo. Os primeiros efeitos se fazem notar após dois a três meses de consumo diário. O colágeno hidrolisado é um alimento e não há nenhuma restrição ou contraindicação, nem limite de tempo para o seu uso.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

RECEITAS PARA QUEIMADURA DE SOL:


Com a chegada do verão, muitas pessoas acabam abusando do sol. Não há problema algum em ir à praia ou aproveitar um delicioso dia de piscina, mas devemos tomar muito cuidado porque os raios solares são bastante prejudiciais para a nossa saúde, podendo causar manchas e os tumores de pele. A dica, portanto, é sempre usar um bom protetor solar diariamente, mesmo quando não for se expor diretamente ao sol e redobrar os cuidados ao ficar na praia, piscina ou mesmo ao seu bronzear em casa.

Mas quem já está com a pele vermelha e ardendo por causa do excesso de sol pode recorrer a algumas soluções caseiras que ajudam amenizar os problemas. As sugestões foram dadas pela dermatologista Mônica Aribi no programa Bem Estar. Veja as receitas para tratar da pele.


Queimadura de Sol
Amido de Milho

Um dos melhores produtos para aliviar a ardência causada pelo produto é o amido de milho que todo mundo tem em casa. Segundo a médica, o ideal é misturar um pouco do amido de milho com água e colocar em um borrifador. A mistura deve ser borrifada nas regiões do corpo mais atingidas pelo sol. É preciso deixar a solução secar naturalmente no corpo e depois enxaguar com água fria. O procedimento pode ser repetido várias vezes ao dia e causa um alívio imediato do ardor.
Chá de Camomila

Outra dica é o uso do chá de camomila. É possível usar o sachê vendido em supermercados ou a erva. Faça um chá bem forte, coe e guarde na geladeira. Depois que estiver bem gelado, umedeça pedaços de algodão na mistura ou use uma gaze para fazer compressas. O ideal é aplicar as compressas bem frias nas parte avermelhadas e deixe sobre a pele até que elas cheguem à temperatura ambiente. Assim como na receita anterior, é possível repetir processos várias vezes ao dia.
Outras Dicas:
Use pasta d’água sobre a pele;
Evite usar roupas justas ou que possam agredir as regiões doloridas;
Beba muita água;
Se a dor estiver muito forte ou se formarem bolhas, procure um médico.
FONTE: RECEITA NATURAL

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

CHÁS QUE DIMINUEM A FOME:


De que maneira os chás podem contribuir para o emagrecimento? Muitas ervas atuam no nosso organismo de modo benéfico, estimulando a perda de peso. Cada planta pode atuar de um modo diferente: umas melhoram a digestão, outras aceleram o metabolismo. Há ainda aquelas que reduzem a sensação de fome, fazendo com que comamos menos.

Isso não quer dizer, no entanto, que os chás por si só proporcionem o emagrecimento. É preciso que a pessoa esteja atenta à alimentação para que as ervas possam colaborar para a redução dos quilos indesejados. Abaixo, listamos algumas receitas que podem “enganar a fome”.


Redução do Apetite
Chá de Carqueja

O chá de carqueja é conhecido pelo sabor amargo, mas pode se tornar um aliado da dieta. Além de ser diurético e, por isso, auxiliar na eliminação de toxinas, ele também ajuda a reduzir a sensação de fome. Para fazer o chá, basta utilizar 2,5 g da erva para cada xícara (chá) de água fervente. Despeje a água quente sobre a planta e deixe abafado por cerca de 10 minutos. Depois coe e tome em seguida. O ideal é tomá-lo entre as refeições principais e antes de dormir.
Chá de Laranja Amarga

O chá preparado com a casca da laranja é outro auxiliar do emagrecimento. A substância conhecida como sinefrina acelera o metabolismo, promovendo a queima de calorias e gorduras. As fibras contidas na casca também são ótimas para regular a fome. O preparo do chá é simples: basta amassar a casca da laranja em um pilão até obter um purê. Coloque duas colheres (sopa) da pasta em 200 ml de água e deixe fervendo em fogo baixo por 20 minutos. Depois coe e tome diariamente.
Chá verde

De todos os chás conhecidos, o mais famoso em relação ao emagrecimento é o chá verde. Ele atua na digestão e na aceleração do metabolismo, além de dificultar a absorção de gorduras. Outra função importante do chá é inibir a produção de leptina, substância que causa a sensação de fome. Por isso, ele é super indicada para ajudar na dieta de perda de peso, seja na forma de chá ou de cápsulas. O chá deve ser preparo com 1 colher (sopa) da erva seca e 1 xícara (chá) de água fervente. Depois de deixar a mistura em infusão por 5 minutos, basta coar e consumir. Importante: prepare o chá sempre que for tomar pois ele pode perder suas propriedades se for guardado ou reaquecido.
Chá de Gengibre

Super benéfico para a saúde, o gengibre também vem ganhando fama como emagrecedor. O segredo está em sua função como termogênico. Isso quer dizer que ele estimula o funcionamento metabólico por elevar a temperatura do organismo. Além disso, assim como a casca da laranja, o gengibre contém pectina, que aumenta a sensação de saciedade. O gengibre é uma raiz com efeitos termogênicos, acelerando o metabolismo e auxiliando na perda de gordura corporal. Além disso, assim como a laranja, possui pectina, que ajuda na sensação de saciedade. O gengibre não deve ser aquecido demais. Por isso, a água do preparo não pode ser fervente. Despeje 1 xícara (chá) da água quente sobre 1 colher (sopa) do gengibre ralado. Deixe descansar por 10 minutos, coe e tome frio ou morno.
Chá de Pau Tenente

O chá de pau tenente é tido como emagrecedor porque reduz a quantidade de gordura presente no organismo. Ele também estimula a digestão e controla a fome. Para prepará-lo, é necessário usar 2 colheres (sopa) da casca para cada litro de água. Leve ambos ao fogo e deixe cozinhar por 10 minutos. Depois desse tempo, tampe a panela por mais 10 minutos. Coe em seguida e reserve para consumir ao longo do dia. O chá deve ser consumida na medida de 1 xícara (chá) 2 ou 3 vezes por dia.

FONTE: RECEITA NATURAL

domingo, 8 de fevereiro de 2015

LIMÃO - CONHEÇA OS BENEFÍCIOS DESSA FRUTA MILAGROSA:




Não importa a variedade (galego, cravo, taiti ou siciliano), o limão é extremamente benéfico à saúde. Nessa fruta de sabor ácido e aparência comum, escondem-se inúmeras vitaminas. A mais conhecida é a vitamina C, encontrada também em frutas como laranja, kiwi, acerola e goiaba; e ainda nos vegetais de cor verde-escura. O ácido cítrico e os bioflavonóides também podem ser encontrados no limão.

Segundo a nutricionista Camila Zago, do Hospital e Maternidade São Camilo Ipiranga, o suco do limão pode ser ingerido à vontade. ‘Não há toxicidade no consumo dele, pois o excesso de vitamina C é excretado pela urina’, explica.

Propriedades medicinais


O consumo de limão ajuda a prevenir as seguintes doenças: escorbuto (que é a falta de vitamina C no organismo) alergias, estresse, fadiga (cansaço muscular), gripe, dor de cabeça, congestão, processos lentos de cicatrização, sangue ácido, anemia, hemorróidas, sinusite, azia e acne.

De acordo com Camila, a substância D-limoneno - princípio ativo presente na casca do limão - ajuda a combater a ansiedade, depressão e o câncer. ‘Em alguns casos ajuda a dissolver cálculos renais e melhora o fluxo de sangue nas artérias’, revela.

O limão possui ainda outras propriedades: ele é adstringente, bactericida, fungicida, antibiótico, clareador e redutor da oleosidade da pele e do couro cabeludo. ‘Também ajuda no tratamento de celulites e varizes, pois ativa a circulação periférica. Muitos estudos revelam que o limão ajuda no processo de perda de peso, controle do colesterol, desintoxica o sangue e ativa o sistema imunológico’, diz a nutricionista.

Quantidade

A nutricionista Juliana Zanetti, explica que do ponto de vista de necessidades diárias de vitamina C, o recomendado para adultos são 60 mg diárias. ‘Para se ter uma idéia o suco de um limão grande em 400 ml de água o correspondente a 17,46 mg de vitamina C. O restante pode ser complementado com o consumo do próprio limão ou de outras fontes da vitamina como laranja, kiwi, acerola, goiaba e vegetais verdes escuros’.

Na culinária

De acordo com Juliana, o limão perde suas propriedades nutricionais quando levado ao fogo. ‘Ele deve ser ingerido ‘in natura’, pois o calor provoca a perda da vitamina C, que se oxida. O contato do limão com o oxigênio desencadeia o processo de oxidação, portanto, o consumo deve ser imediato à manipulação’.

Crianças

Segundo a nutricionista, a partir do sexto mês de vida, o limão pode ser introduzido na alimentação em sucos e temperos. ‘Em relação à quantidade, se for na forma de suco, deverá ser introduzida de acordo com o hábito alimentar da criança, como qualquer outro tipo de suco, uma a duas vezes ao dia’, avisa.
image

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

AS DIVERSAS FUNÇÕES DOS CHÁS:


Os chás, como sempre mostramos aqui no Receita Natural, são excelentes aliados da nossa saúde. Veja alguns efeitos positivos trazidos pelo consumo regular das infusões de ervas:
Redução do Colesterol

Pesquisas realizadas pela Universidade de Kumming, na China, investigaram os efeitos do chá preto, derivado da Camellia Sinenis, no organismo de pacientes com problemas coronários e hipertensão. Com esses estudos, os cientistas puderam concluir que os resultados obtidos pelo uso do chá são bem semelhantes aos dos medicamentos mais usados aqui no Ocidente. Os voluntários analisados tiveram uma boa redução nos níveis do colesterol ruim durante o período em que consumiram o chá diariamente.


Benefícios dos Chás
Prevenção do Câncer

O câncer é uma das doenças mais graves da contemporaneidade e preocupa, com razão, quase todas as pessoas. A boa notícia é que vários estudos comprovam a eficiência do uso dos chás na prevenção dos tumores. Em Bejing, na China, foi feita uma pesquisa que revelou que o uso de cápsulas de chá verde reduz as lesões bucais de pacientes com cancro na boca. Do outro lado do mundo, na Universidade do Arizona, outro estudo observou que os chás preparados com cascas de frutas cítricas reduzem em até 70% o aparecimento do câncer nas células escamosas da pele. O mesmo estudo mostrou que o uso do chá preto também é eficaz na redução do problema em até 40%. Várias pesquisas ainda comprovam os efeitos benéficos dos polifenóis do chá verde na prevenção do câncer de pulmão, de colo e de estômago.
Doenças Cardiovasculares

Os chás derivados da Camellia Sinenis (preto, verde, vermelho e branco) são ricos em antioxidantes chamados de polifenóis. Eles são responsáveis por neutralizar a ação destrutiva dos radicias livres. De acordo com os cientistas, a eficácia dos antioxidantes presentes nessas chás é bem maior que o de vitaminas como a C e a E. Um dos papeis desempenhados pelos polifenóis é o de impedir a formação de placas de gorduras no interior das artérias. Por isso, o uso dos chás apresenta bons resultados na prevenção de doenças cardiovasculares. Uma pesquisa feita no King’s College revelou que o consumo diário de 1 xícara de chá reduz em 44% as chances de ataques cardíacos. Nos países orientais, onde o consumo de chá é maior, os índices de enfarte são bem menores que os dos países ocidentais, onde prevalece a ingestão de café.
Densidade Óssea

Que os ossos são extremamente importantes para o organismo ninguém há de duvidar, mas o que poucos sabem é que os chás também colaboram para a manutenção do nosso esqueleto. Um estudo realizado pelo Hospital Universitário de Taiwan que o uso regular dos chás tem papel fundamental na preservação da densidade óssea de mulheres e homens. Os pesquisadores notaram, no decorrer da pesquisa, que os pacientes que consomem o chá habitualmente apresentaram menos problemas relacionados aos ossos. A explicação para esse efeito está na grande quantidade de flavonoides, fitoesteroides e fluoridos, que atuam nas células ósseas. Na Inglaterra, cientistas da Escola de Medicina da Universidade de Crambidge também constataram que mulheres com mais de 50 anos que costumam tomar o chá preto com frequência apresentam melhor densidade óssea.
Perda de Peso

A redução do peso talvez seja um dos principais atrativos dos chás para várias pessoas. É sempre importante lembrar que o chá, por si só, não vai atuar no emagrecimento, mas sim acelerar os resultados de uma dieta alimentar. Estudos comprovam que o consumo do chá verde pode contribuir para a perda de peso, porque aumenta o calor durante a digestão. Esse processo faz com que o metabolismo se torne mais rápido, favorecendo a queima de gorduras. Outro benefício trazido pelo chá verde e por outros chás derivados da Camellia Sinensis está no aumento da diurese, que leva a uma redução do inchaço causado pela retenção de líquidos.
Dentes Saudáveis

Uma pesquisa feita na Inglaterra na década de 90 mostrou que o consumo dos chás, por serem fonte de flúor, ajuda na prevenção das doenças dentárias. Os mais indicados são os chás tradicionais, como o chá preto e o chá verde, mas não devemos consumir mais do que 1 xícara por dia. Para melhores resultados, o chá morno deve ser bochechado por alguns segundos. Porém, o uso exagerado pode levar à formação de manchas e escurecimento dos dentes.
Melhora da Digestão

Os orientais, sobretudo os chineses e japoneses, têm o hábito de tomar um pouco de chá logo após as refeições. Essa prática, passada de geração em geração, possui hoje uma explicação científica. A presença dos óleos essenciais contidos na erva aumentam a produção dos sucos gástricos. Assim, a ingestão do chá torna a digestão mais rápida, aliviando a sensação de peso depois das refeições mais pesadas (almoço e jantar).
Mal de Alzheimer

Os pesquisadores da Universidade de Newcastle, na Grã-Bretanha, obtiveram resultados bem interessantes ao analisar os efeitos do chá verde. Eles observaram que o consumo de 1 copo de chá verde por dia protege o cérebro humano de doenças como o Alzheimer, além de prevenir alguns tipos de câncer. Infelizmente, os benefícios não são iguais em todas as pessoas. Algumas organismo reagem melhor às substâncias contidas no chá.
Defesas do Organismo

Como todos sabem, o nosso organismo conta com um aparato de defesa, capaz de nos proteger de doenças e microrganismos nocivos. Esse aparato, conhecido como sistema imune, pode ser fortificado pelos chás. Eles estimulam a formação dos glóbulos brancos, que atuam conta as infecções, além de vírus e bactérias. Estudos mostram ainda que o tanino do chá verde cria uma camada protetora na parede do intestino, protegendo-o de microrganismos prejudiciais à saúde.
Processo de Desintoxicação

Algumas ervas como a salsaparrilha, o dente de leão e o capim-limão, são excelente para a desintoxicação do organismo. Eles estimulam a diurese, fazendo com que os rins eliminem os líquidos e toxinas acumulados. O ideal, para obter bons resultados, é tomar de 3 a 4 xícaras desses chás diariamente. O principal efeito positivo é a redução do inchaço nas pernas, braços e abdômen, além de mais disposição.

FONTE: RECEITA NATURAL